quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Trump: relação com Putin é um "ativo" - e não risco.

O presidente eleito negou que a aproximação com o presidente russo Vladimir Putin seja um risco para o país. Em entrevista coletiva, Trump criticou a imprensa - quase toda ligada aos democratas, falsos liberais - por publicar "relatos falsos":


O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, negou em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 11, que sua aproximação com a Rússia seja motivada por informações sigilosas que o Kremlin tenha reunido sobre ele, como indicam relatos não confirmados de inteligência publicados na terça-feira pelo Buzzfeed e a CNN. Foi a primeira vez que o novo presidente falou com a imprensa desde a sua eleição.

Ele disse que não tem dívidas, negócios ou empréstimos na Rússia, nem que foi filmado em situações pessoais potencialmente embaraçosas. Trump ainda afirmou que sua proximidade com Vladimir Putin é um ativo, não um risco.

O magnata republicano também criticou os veículos que publicaram os relatos não confirmados e disse que essas informações são falsas e não deveriam ter vindo a público. O novo presidente também admitiu que a Rússia teve um papel ao hackear o Comitê Nacional Democrata durante a campanha, mas relativizou a ação, dizendo que outros atos de ciberespionagem, principalmente feitos pela China, não tiveram a mesma atenção.

Sobre os relatos publicados pela CNN e o Buzzfeed, de que teria sido flagrado em vídeo em práticas sexuais incomuns, Trump disse: ” Eu digo a todo mundo que viaja comigo para tomar cuidado com câmeras”, afirmou. “Além disso, tem medo de germes.”

Trump aproveitou também para exaltar os acordos recentes com montadoras que pretendem reinvestir nos Estados Unidos e disse que novos acordos similares devem vir da indústria farmacêutica. O magnata também declarou que, apesar de não precisar, irá abandonar seus negócios em prol de seus filhos. “Eu conseguiria dirigir o país e a empresa ao mesmo tempo, mas não quero fazer isso”, disse.

5 comentários:

Paulo Robson Ferreira disse...

Quem compara Donald Trump com Obama e não vê a enorme distância da qualificação do segundo em relação ao primeiro, tem muito a amadurecer. A enorme elegância de um em relação ao outro parece totalmente irrelevante, principalmente para aqueles que encaram a vida como uma competição e não como uma associação. O Trump para mim é uma espécie de Lula do hemisfério norte, bom para envolver os desavisados mas paupérrimo de valores.

Orlando Tambosi disse...

Obama chamou Lula de "O cara".
Você é um bom socialista, Robson.

Paulo disse...

Trump é um Lula do hemisfério norte!? Quem será que não vê (cegueta ideológico) distancias enormes aqui, heim!?

Joe Cool disse...

A elite americana - Soros, Rockfeller & Cia, querem uma guerra contra a Rússia a qualquer custo. Hillary tinha prometido uma guerra contra a Russia. Quanto a Obama é uma das coisas mais ridículas o culto a este personagem, demonstra o que é a tal democracia nos séculos XX e XXI. Obama quando candidato era adorado como o mais fantásticos dos seres por ser mulato, em poucos meses do seu primeiro mandato recebeu o prêmio nobel da paz por ser mulato. Obama dobrou o déficit americano, o desemprego nos Estados Unidos é de 9,5% maior do que nos governos de Bill Clinton e dos Bushs. Fundou e financiou o Estado Islâmico e intensificou os conflitos raciais nos Estados Unidos dando suporte aos Black Lives Matter e nomeando Erik Holder e depois Loretta Lynch, negros que abertamente odeiam brancos como Attorney General figuras importantes que incitaram, juntamente com Obama, o vandalismo no sul dos Estados Unidos nas hoax de Treyvon Martin (o filho de Obama) e Michael Brown, dois criminosos mortos por policiais e vigilantes (no caso de Martin). Agora Obama como último ato tornará seus arquivos secretos por 12 anos, juntamente como alguns documentos do governo americano.

Toth disse...

Joe Cool: aonde assino embaixo? O único lúcido nos comentários. Parabéns!